NOTÍCIAS
 
13/06/2018 - 22:51h
ESTRES NOS CANÁRIOS

ESTRESSE NOS PÁSSAROS


Amigos, vou falar um pouco sobre o estresse dos pássaros, mais direcionado aos canários da terra, pois é o pássaro que mantenho desde de criança e crio a muitos anos, dessa forma, mesmo não sendo um médico veterinário, tenho uma boa experiência para falar sobre esse problema que nos preocupa tanto nos canários, fazendo que percamos muitos pássaros e até chocadas.

Não vou abordar tratamento com medicação, por dois motivos:

Primeiro que não acredito que esse tipo de problema seja tratado com medicação; segundo que não sou médico veterinário, portanto, abordarei pontos reais que poderão por todos ser entendidos de maneira fácil e, poderão prevenir esse tipo de aborrecimento e até saná-lo.

Uma dica importante, é que se conheça a espécie que esta criando ou mantendo, pois esse conhecimento, ajudará muito no manejo do pássaro, para que possa fornecer a ele as condições necessárias para uma vida de Criação e, ou Competição, adequada, sem qualquer estresse.

Os PRINCIPAIS sintomas de um canário estressado são:

SELVAGERIA: O Pássaro fica como se fosse caçado, fica chucro, espantado. Um canário que era manso, fica como se tivesse sido retirado na natureza naquele momento;

GÊMIDO: O pássaro emite um gemido quando se aproxima dele ou quando pega sua gaiola;

EMAGRECIMENTO: O pássaro perde peso, pois se alimenta menos;

PLUMAGEM ANORMAL: O pássaro apresenta uma plumagem arrepiada, sem brilho, diferente da que costuma ter em boas condições de vida;

INFERTILIDADE: O pássaro se torna infértil, provocando os ovos gorados que muitos reclamam. Trata-se de uma infertilidade temporária, que vai ser sanada após a cura do estresse do pássaro;

ABANDONO DE NINHO: Um pássaro em estado de estresse, tende a abandonar o ninho.

Um pássaro pode apresentar um ou mais desses sintomas.

Quando um pássaro apresenta um estresse em seu grau elevado, as chances de levar o pássaro a óbito são enormes.

Evitar o estresse, é mais fácil que curá-lo, por isso é importante que se trabalhe, que se cuide do pássaro para evitar que essa situação venha a acontecer, pois acontecendo, o trabalho será maior e não se sabe se terá resultados favoráveis.

Tratar do estresse, leva a manejar a gaiola do pássaro e o manejo da gaiola em muitas das vezes faz com que o estresse aumente ainda mais, ou seja, quando mais o criador ou mantenedor cuide mais do pássaros, mais pode agravar a situação de estresse, por isso é tão difícil ter sucesso no tratamento, mas, não é impossível e será dado algumas dicas.

O estresse se da muito em filhotes recém chegados de outros criadores, pois não possuem um manejo, um costume com mudanças de ambiente, climáticas e alimentares.

É sempre bom que na aquisição de um filhote, seja fornecido a ele a mesma alimentação do criador anterior e se caso a mudança na alimentação seja “necessária”, que seja feita de maneira gradativa e depois de um certo tempo de ambientação em sua nova casa.

É bom que se mantenha, pelo menos tente manter o filhote, num local onde a temperatura seja próxima a de onde ele veio.

É bom e necessário que mantenha o filhote em um local, longe de muitas movimentações e de visitas de outros animais e pássaros.

Por exemplo: cachorro transitando, visita de pombos.

É bom que se maneje pouco o filhote recém chegado, deixando assim que ele fique tranquilo e vá se ambientando.

É importante que se tome esses cuidados, pois os filhotes são mais vulneráveis e sensíveis, possuindo assim, menores condições de suportar as doenças que vão se desenvolver devido ao estresse.

Nos pássaros adultos, devemos sempre agir com os mesmo cuidados, mas como esses já são manejados, devemos nos preocupar mais com a condição que ele foi transportando para a nova moradia e fornecer a ele a mesma alimentação até que esteja acostumado e bem ambientado com o novo criador ou mantenedor.

Devemos dar um tempo a ele, como disse acima, até que se ambiente e faça seu novo ponto, só depois então esse poderá ser manejado de acordo com a vontade do novo dono.

Lembrando que nunca é bom que se encape um pássaro novato, pois isso atrapalha a se ambientar no novo local e pode provocar o estresse, já que não está tendo nenhuma visão do novo ambiente e sendo alvo de cantadas de outros pássaros.

Como tratar o ESTRESSE:

Não é fácil tratar de um pássaro estressado.

Mas, temos algumas dicas se seguidas podemos chegar a um bom resultado.

Quando o pássaro se apresentar de forma a indicar que esta estressado, coloque-o no melhor local que tiver em sua casa ou criatório.

Um local em que ele vai dormir e acordar alí, sem precisar de ser movimentado.

Forneça algumas guloseimas, como pepino, almeirão ou couve, maça, jiló, farinhada, isso fará com que ele coma bastante, gostando do novo trato e criando resistência para lutar contra a evolução de fungos e bactérias.

Banheira, é bom que se forneça, pois um pássaro que toma banho, é um pássaro ativo.

Uma outra dica, é que após ser constatado o estresse e não conseguido saná-lo, deve-se mudar esse pássaro de ambiente e de criador ou mantenedor, como por exemplo, levar o pássaro para a casa de um amigo e deixar que ele cuide desse pássaro. Tendo o objetivo alcançado, que é a retirada do estresse, esse pássaro precisa ser voltado ao dono de forma gradativa. Assim, deve visitar a casa do dono, como se fosse passeio e após algumas visitas, ficar nela definitivamente.

Uma outra dica e o acasalamento do pássaro.
É sabido que os pássaros que são menos atingidos pelo estresse são aqueles estão acasalados.

As mudanças de locais são sempre com as suas fêmeas e isso os deixa sempre confiantes e seguros.

Os canários, por ser pássaros que em sua maioria vivem solteiros, possuem uma maior chance de serem atingidos pelo estresse.

Dessa forma, em último caso, é recomendado que se encasale o pássaro, no caso o canário da terra, para que ele possa ter uma ajuda. No caso a fêmea estaria ajudando-o, dando a ele confiança e segurança, juntamente com uma valentia extra e assim, se recuperar do estresse.

Então meus amigos, como puderam perceber, é muito mais fácil prevenir o estresse, que retirá-lo do pássaro, por isso, vamos agir de forma a não deixar que isso venha a acontecer com nossos pássaros.

Lembrando também o quanto é importante o controle das principais doenças que causam a morte dos pássaros, que são a Salmonela, Cândida e Coccidiose, pois, no estado de ESTRESSE os pássaros ficam com a imunidade reduzida, ficando vulneráveis ao desenvolvimento de bactérias e fungos, levando assim a morte.

Desejo sucesso a todos e espero ter ajudado.

Osmar de Oliveira Sandoval – Criatório Espelho da Fibra – Campinas – SP

 

 


< voltar

 
 
www.criatorioespelhodafibra.com.br - 2018 - Desenvolvimento: