NOTÍCIAS
 
13/06/2018 - 23:21h
EMPOLEIRAMENTO - CANÁRIO DA TERRA

NESSE TEXTO VAMOS ABORDAR O TEMA DO EMPOLEIRAMENTO DAS GAIOLAS DOS CANÁRIOS DE RODA,  BEM COMO DA DIFICULDADE EM SABER SE DETERMINADO CANÁRIO VAI OU NÃO MELHOR SEU RENDIMENTO.

Uma gaiola que será usada para roda de canário, precisa ter no mínimo dois (02) poleiros e no máximo Oito (08), de acordo com o regulamento da FPP,FEBRAPS E COBRAP, como se vê abaixo colacionado:

“ Para as demais espécies (Canário da Terra, Bicudo, Curió, Azulão ), para que o pássaro possa se movimentar com as asas, o número máximo de poleiros (maritacas, cocho, bebedouro/banheira com poleiros, descansos e o próprio poleiro) nas gaiolas será de oito, contando os poleiros de cocho e/ou bebedouro que estiverem na testeira da gaiola.”

Diante disso, como saber a quantidade certa a ser usada?

R: Bem, se temos a opção de usar oito poleiros, então para pássaros iniciantes, é bom que se use esses oito poleiros e, depois, caso haja necessidade, ir retirando algum(s) e, também se necessário, modificando a(s) posição(s).

O empoleiramento a ser usado de início e que não prejudicará o pássaro, é aquele que ocupa o fundo da gaiola, meio e copa. Abaixo foto do EMPOLEIRAMENTO PADRÃO e no final do texto, mais alguns modelos de empoleiramento que podem ser usados.

Gaiola - empoleiramento padrão 1

 

Existe uma frase que muitos dizem que é “Travar o pássaro”, ou seja, fazer com que esse pare e cante.

Eu não acho que essa frase seja correta, prefiro dizer que a melhor mexida é aquela que o pássaro aproveite todos os poleiros para cantar e assim, não faça esforço físico, como se pendura em grades.
Não se consegue parar (ou travar como dizem) um pássaro que fica o tempo todo em movimento, mostrando valentia e cantando dos dois lados.

O que acontece, é que as pessoas fazem um empoleiramento na copa e o canário fica ali, mais parado do que se movimentando.

Então eles dizem que travaram o canário. Mas, não travou coisa nenhuma, pois isso já é dele, ficar parado, ser mais calmo, e não que alguém conseguiu para-lo. Essa pessoa, só foi brilhante em acertar o empoleiramento que faz com que ele aproveite mais seu espaço e assim renda mais na roda.

Posso dizer que o único segredo que existe, reside no fato de sabermos como melhorar o empoleiramento para que ajude o canário no seu rendimento.

Para tanto é necessário uma boa observação, sempre digo que aquele expositor que coloca seu pássaro na roda e fica olhando, vai cada vez mais aprendendo com ele e assim ajudando-o a se desenvolver.

Já aquele expositor que coloca seu pássaro na estaca e só volta no final, nunca irá saber se o pássaro precisa de algo ou se tem algo o prejudicando.

O expositor precisa ficar atento na movimentação do canário, ver quais locais da gaiola ele esta utilizando e cantando. Sabendo disso, os poleiros serão colocados nesses locais.

O  bom empoleiramento evita que o pássaro pule na grade e/ou que ele fique no fundo perdendo tempo e portanto não cantando.

O empoleiramento, como já sabemos, pode ser diferente para cada pássaro, pois cada indivíduo tem um estilo de cantar quando nas rodas.

Existem canários mais agitados, aqueles que ficam sempre procurando brigas, esses canários, precisam de um empoleiramento que os façam a cada movimento emitir um canto, dessa forma, não perderá tempo com pulos falsos.

Os pulos falsos é uma das coisas que mais prejudica o pássaro, pois ele vai se cansar e não computará as cantadas. São aqueles pássaros que pulam e não cantam, dão dois ou 03 pulos para depois dar uma cantada.

Claro que tem pássaros mais lentos, que pulam mas que cantam e sendo assim não tem como fazer milagre, não tem como aumentar o rendimento quando o pássaro já está  no limite. Existem ainda os canários rápidos que por um empoleiramento errado, perdem tempo com pulos desnecessários.

Esses canário que tem potencial, precisam de um empoleiramento que o faça render mais, sem perder tempo e assim aproveitar todo seu potencial e qualidades.

Existem os canários mais parados, que são mais calmos e gostam de cantar na copa da gaiola. Por ser um canário mais calmo, não significa que ele vá cantar mais, mas, essa qualidade pode favorecê-lo por não perder tempo pulando de poleiro para poleiro.

Quando percebemos que um canário é calmo, procuramos fazer um empoleiramento que fique limitado apenas a copa da gaiola. Pode-se colocar 03 poleiros, ou um poleiro central e duas maritacas.
Deixando-o tranquilo no local que ele goste de cantar, ele com certeza renderá mais.

Como se vê, a observação é fundamental para que possamos acertar o empoleiramento de forma a favorecer o pássaro.
Uma coisa importante, é que todo canário depois de um bom tempo de roda tende a se acalmar.

Os motivos são  em primeiro o  TEMPO DE VIDA, pois a idade de um canário não corre como a de um Bicudo ou Curiós por exemplo. Canário tem uma vida mais curta.

Canário com 7 anos já é considerado velho, já os bicudos e curiós, com 07 anos são meninos. Um canário bem cuidado, consegue atingir 10-12 anos de vida, mas não terá a disposição de antes, diferente dos Bicudos e Curiós, onde podem passar de 30 anos com facilidade, e em segundo, o TEMPO DE TORNEIO, pois quanto mais torneio participar, mais acostumado ficará.

Junto com o empoleiramento, esta a colocação dos comedouros.

Particularmente gosto de colocar potinhos para por a comida que deve ser colocado na grade da porta da gaiola e no poleiro que ele menos usa. Colocado do lado da porta da gaiola, vai favorecer o marcador a observar se ele está cantando e comendo, assim não perdendo canto.

Colocado no poleiro que ele menos usa, fará que ele só vá lá pra comer, evitando assim que ele brinque com a comida e perca tempo com isso, sendo então prejudicado na marcação.

O bebedouro, deve ser colocado do lado de fora da grade que fica dentro da roda. Dessa forma, o bebedouro não atrapalha a visão do marcador, pois o pássaro poderá emitir alguma cantada quando atrás dele.

Abaixo alguns modelos de empoleiramento:

 

Gaiola - empoleiramento 2     Gaiola - Empoleiramento 5

Gaiola - empoleiramento 7     Gaiola- empoleiramento 9

 Uma outra pergunta interessante, é:

QUANDO SABEMOS QUE UM PÁSSARO PODE AUMENTAR SEU RENDIMENTO, OU SEJA, CANTAR MAIS DO QUE JÁ CANTA.

Devemos observar e aqui falo do pássaro novo de roda, estreante ou que esteja começando, como ele entra na roda, qual a produção de canto dele e como ele se apresenta cantando.


Se é um canário entra lento, por ser mesmo lento, não tem como fazer que ele fique rápido, pois isso é dele, é genética e não se consegue melhorar de uma forma significativa.


Se um canário entra rápido, é sinal que esse possui uma velocidade de canto e está usando naquele momento.

Se o canário que entra rápido, depois de algumas horas cai muito sua produção de canto, isso pode ser por vários fatores.

O primeiro é a falta de costume, não estÁ ele acostumado a uma disputa tão forte, com tantos adversários e em um local bem diferente do que ele está acostumado. Em alguns casos, não está também acostumado a viagens de carro, saídas de madrugada e viagens por longo tempo.

O segundo é o empoleiramento errado, que faz com que o canário se desgaste além do normal.

O terceiro, a falta de concentração, está ligado ao primeiro, pois o canário que se desconcentra durante a disputa, seja por passagem de pessoas, seja por mexidas na roda (estacas), ou por mudança de adversário, está ligado com o Costume, pois com um bom tempo de torneio, ele vai conseguir superar essas negatividades.

Por isso é importante sabermos julgar um canário em sua primeira apresentação, para que não classifique esse como um canário aquém daquilo que realmente poderá ser.

Também é importante saber que existem canários rápidos, mas que finalizam com uma quantidade de cantadas mediana ou até abaixo do mediano, ou seja, entram muito bem e acabam mal ou muito mal.

Esses canários, apesar de terem fibra, não possuem RESISTÊNCIA, e se não têm resistência, não vai suportar manter aquela velocidade até o final.

Em relação ao canário já veterano de roda, será que existe algo para que esse aumente sua produção de cantos?

R. Sim, existe. Não é como o iniciante, pois esse já é acostumado com rodas.

Podemos tomar algumas providências para que esse canário, já acostumado com roda, melhore sua performance.

1 – Caso esse canário não more em voador, recomenda-se que ele passe a morar. Voar é um dos ingredientes da boa forma do pássaro. Pássaro precisa bater asa.

2 – Caso tenha chance de melhor o empoleiramento desse canário, isso deverá ser feito. Nunca é demais tentar algo novo.


3 – Dar bastante sol no pássaro. Pássaro precisa de sol. O canário é muito resistente ao sol e dessa forma, deve-se dar um pouco mais de sol nele, para que ajude em sua saúde e desempenho.

4 – Fazer uma vermifugação no pássaro. Pássaro vermifugado é pássaro sem vermes e assim, com saúde.


5 – Tratar o fígado do pássaro.

 Os pássaros se alimentam em sua maioria de diversos alimentos e assim, sujeito a intoxicação.

O canário, as vezes está gordo e o seu dono não consegue fazer com que esse perca peso.  

Em muitos casos o motivo para estar gordo, é causado pelo fígado.

O fígado estando doente, as chances de pássaro engordar são grandes.

Nunca será prejudicial usar um antitóxico para ficarmos mais tranquilos em relação ao fígado do pássaro.

6 – Saber se aquele canário já acostumado em rodas, está morando junto com outros canários ou vive sozinho.

Caso more junto com outros, é muito interessante que se faça um isolamento (que more sozinho) para que se possa saber se ele aumentou seu rendimento.

Essas são algumas dicas que podem ser usados em canários já acostumados em roda, mas que não podem também deixar de ser usadas nos canários novos, quando quanto mais cedo fizermos tudo certinho, mais cedo alcançaremos o nosso objetivo.

Como todos sabem, os pássaros não sabem dizer o que querem, o que estão sentindo e muitos menos dar dicas de como devemos agir.

Dessa forma, incumbe a nós, termos uma atenção especial, um olho que consiga perceber o que muitos não percebam e assim, poder proporcionar ao pássaro, uma saúde perfeita, um passeio agradável, uma viagem longa mais confortável, um stress pequeno, que ao chegar no hotel será eliminado com um belo de um banho, um local que ele agrade em moral (muitos não percebem que o pássaro não está gostando daquele local) pois alí irá parar quase todo seu tempo.

Osmar de Oliveira Sandoval – Criatório Espelho da Fibra – Campinas – SP

 


< voltar

 
 
www.criatorioespelhodafibra.com.br - 2018 - Desenvolvimento: